MyRestaurant

Idioma

A Braguista | Restaurantes

A Braguista

Nenhum resultado encontrado.

Norte
Total votes: 1
0 0

Tipo de cozinha

Fast food
Internacional
Tradicional Portuguesa

Tipologia

Urbano

Preço médio

Almoço: 
6€
Jantar: 
12€

Lotação

90

Chef

Fernando Alves
Contactos
(+351) 253 057 457

Contactar este restaurante

Morada

Rua Quinta da Armada, 129, (nas traseiras do Bragaparque), Braga, 4715-027

Horário

Almoço: 12h00 às 15h00 Jantar: 19h00 às 23h00 Fechado: Terça-feira

Reserva Online

A Braguista

Data/Hora *
Exemplo: 16/08/2017
Exemplo: 20:30

Separadores Verticais

Desconto
Menu executivo à semana 6€ com sobremesa 6.8€

Venha deliciar-se com o nosso menu executivo! (ver imagem ao lado)

Oferta
Take Away

Prefere ficar por casa? Faça o seu pedido e venha buscar a nossa deliciosa francesinha! Ver imagem

Em 8 de Fevereiro de 2013 abriu em Braga, O Restaurante A Braguista, mais precisamente nas traseiras do maior centro comercial da cidade (o Braga Parque). Com uma decoração moderna ao estilo americano, A Braguista especializou-se em um prato tradicional da região do Porto – a francesinha – apresentando uma vasta diversidade de francesinhas saborosas (normal, vegetariana, de marisco, de alheira, entre outras)  com um toque de modernidade conferido pelo Chef Fernando Alves, mas também apresenta o delicioso Naco à Chimichurri, a posta tipo barrosã, entre outras maravilhosas iguarias.

A sua presença é obrigatória, venha desfrutar do seu tempo na nossa companhia!

 

Inicie sessão ou registe-se para publicar comentários

Videos

Fotos

Parceiros

Aqui perto

Braga
Ponto de Interesse
Centro Ibérico Internacional de Nanotecnologia
Avenida Mestre José Veiga
4715 330 Braga
Portugal

O Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL) situa-se em Braga, Portugal.

Este laboratório tem um investimento anual de 30 milhões de euros e resulta de um Memorando de Entendimento que o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Portugal e o Ministério da Educação e Ciência de Espanha assinaram em 19 de Novembro de 2005 para a criação e operação conjunta de um Instituto de Investigação e Desenvolvimento.

O Instituto Ibérico de Nanotecnologias tem 14 mil metros de área laboratorial, num edifício de cerca de 20 mil metros quadrados, cuja primeira pedra foi lançada na XXIII Cimeira Ibérica, que se realizou nos dias 18 e 19 de Janeiro de 2008 em Braga.

Esta estrutura dedica-se à investigação na área das nanotecnologias e possuirá várias oficinas, laboratórios, uma biblioteca e auditórios. Será também dotado em breve com um centro de ciência viva para que seja mostrado à população o trabalho que lá será desenvolvido.

A inauguração da primeira fase teve lugar a 17 de Julho de 2009, e contou com a presença do presidente da República, Cavaco Silva, do rei Juan Carlos de Espanha, dos primeiros-ministros, José Sócrates e José Luiz Zapatero e dos ministros da Ciênca dos dois países.

Numa primeira fase, a Universidade do Minho cedeu um espaço no Convento dos Congregados, para o desenvolvimento do trabalho da comissão instaladora.
Como se pretende que este projecto seja aberto à participação de privados que queiram apostar em investigações concretas para aplicação industrial, a Câmara Municipal de Braga irá simultâneamente criar nas proximidades, um Parque Tecnológico de Excelência, integrado no projecto TechValley, para a instalação de empresas de base tecnológica.

O INL dedica-se a várias aplicações das nanotecnologias das quais se pode destacar a nanomedicina e o controle de qualidade alimentar e ambiental. Tem, também, equipas dedicadas a áreas necessárias para essas aplicações: nanoelectrónica e nanossistemas.

Braga
Ponto de Interesse
Universidade do Minho
Campus Gualtar
Gualtar
4710 057 Braga
Portugal

Fundada no ano de 1973, a UMinho recebeu os primeiros estudantes em 1975/76. Hoje, a Universidade é reconhecida pela competência e qualidade dos professores, pela excelência da investigação, pela ampla oferta formativa graduada e pós-graduada e pelo seu alto nível de interação com outras instituições. As Unidades Orgânicas de Ensino e Investigação – Escolas e Institutos – são as estruturas base da Universidade: Escolas de Arquitetura, de Ciências, de Ciências da Saúde, de Direito, de Economia e Gestão, de Engenharia, de Psicologia e Escola Superior de Enfermagem, e Institutos de Ciências Sociais, de Educação e de Letras e Ciências Humanas. A UMinho é uma universidade de investigação, comprometida com a cadeia de valorização do conhecimento, possuindo inúmeras parcerias de sucesso em projetos de investigação, culturais e de desenvolvimento socioeconómico. A internacionalização representa um forte compromisso, não só no espaço da UE e dos PALOP, mas também com diversos países, de vários continentes.

A Universidade do Minho assume a produção de conhecimento científico como eixo estruturante da sua acção, entendendo-a também como meio de valorização da sua oferta educativa e da interacção com a sociedade.

A UMinho assume-se como universidade de investigação e essa definição tem sido reconhecida por avaliações realizadas por agências internacionais.

Na Universidade, a investigação organiza-se em centros de investigação, que são sub-unidades das unidades orgânicas de ensino e investigação.

A Universidade tem, neste momento, 32 centros de investigação financiados pela FCT, 3 dos quais integram Laboratórios Associados do Estado, e comporta também o Instituto Europeu de Excelência em Engenharia de Tecidos e Medicina Regenerativa, único instituto deste tipo a ter sede em Portugal.

A Universidade do Minho reconhece e apoia a valorização do conhecimento como uma componente integral da sua missão. Promover a transferência de conhecimento e tecnologia para a Sociedade através de parcerias com empresas, licenciamento de propriedade industrial e apoio à criação de novas empresas intensivas em conhecimento - empresas spin-off - permite disponibilizar novos produtos, processos e serviços à Sociedade, com um claro impacto no desenvolvimento económico e na geração de emprego.

Este compromisso só é possível de implementar através de um conjunto alargado de iniciativas dinamizadas pela Universidade do Minho, que são aqui apresentadas.

Braga
Ponto de Interesse
Hospital Público de Braga
Lugar das Setes Fontes
S. Victor
4710 243 Braga
Portugal

Telefone Geral - 253 027 000 Uma estrutura arquitectónica totalmente construída de raiz, com uma área de construção de 140.000 m2, que abriu as portas em Maio de 2011 com maiores e melhores instalações, totalmente equipada com tecnologia de primeira linha. Implementado num terreno de 23 hectares em Sete Fontes, na Freguesia de São Victor, o Hospital de Braga é uma estrutura arquitectonicamente moderna, construída para uma perfeita articulação entre as diferentes funcionalidades, sempre na perspectiva de uma maior qualidade de serviço e conveniência para o utente. As novas instalações conciliam unidades de assistência médica, investigação e ensino universitário de excelência. Um espaço criado para prestar os melhores e mais inovadores cuidados de saúde com tecnologia de última geração para cuidar de quem mais gosta. Nas novas instalações do Hospital estão disponíveis: 705 camas Quartos de internamento com um máximo de duas camas e todos com quarto de banho privativo Bloco Operatório Central com nove salas Bloco de Ambulatório com três salas Bloco de partos com oito salas Bloco Periférico de Obstetrícia com uma sala 60 Gabinetes de consulta médica Serviço de Psiquiatria com acesso próprio Caminho pedonal de ligação à Escola de Ciências da Saúde da Universidade do Minho, que facilita o acesso ao ensino e investigação. Heliporto, que permite um rápido e seguro transporte de doentes urgentes. Meios Complementares de Diagnóstico e Tratamentos de apoio a todas as especialidades clínicas O serviço de urgência do novo Hospital de Braga permite um atendimento segmentado em função das necessidades de cada paciente: Urgência Geral Urgência Pediátrica Urgência de Ginecologia / Obstetrícia No novo hospital existem cerca de 2200 lugares de estacionamento, um refeitório, uma cafetaria e uma zona comercial com diversas lojas. Consulte aqui as plantas para saber onde se localizam todos os serviços clínicos e não clínicos. O Hospital de Braga é uma unidade hospitalar integrada no Serviço Nacional de Saúde, no âmbito de uma Parceria Público Privada celebrada através de um contrato de gestão assinado pela Administração Regional de Saúde Norte, em representação do Ministério da Saúde.

Braga
Ponto de Interesse
Sete Fontes
São Vitor
Braga
Portugal

Longitude: -8.404020667 Latitude: 41.568698581

As Sete Fontes remontam à época da invasão romana da península Ibérica, nomeadamente da fundação de "Bracara Augusta", como testemunham algumas escavações arqueológicas.
O atual sistema foi construído por ordem do então Arcebispo de Braga, D. José de Bragança, no século XVIII.
Ao assumir o cargo, como uma das suas primeiras medidas, D. José de Bragança logo no dia 21 de agosto de 1703 foi "pedir esclarecimentos à Câmara do estado dos muros da cidade e sobre o estado do fornecimento da água".[1] À época já haviam sido descobertos vários mananciais de água potável no atual lugar das Sete Fontes e em Montariol.
A exemplo do seu irmão, João V de Portugal, que mandara construir em Lisboa o Aqueduto das Águas Livres, D. José determinou que, em Braga, a partir daqueles lugares, se iniciassem as obras de Engenharia Hidráulica necessárias para trazer a àgua até à cidade.
A obra abasteceu Braga até 1913, quando a água do rio Cávado chegou até aos reservatórios de Guadalupe.
Em 1934 o caudal do antigo sistema foi estimado em 500 000 litros por dia.
Ainda hoje existem casas onde a água das Sete Fontes chega, numa forma de antigo Direito chamada "penas de água" (medida do diâmetro da torneira).
A maioria das fontes, fontanários e chafarizes da cidade ainda são abastecidas por este sistema.
Encontra-se classificado como Monumento Nacional desde de 29 de maio de 2003.
[editar]Características

O manancial é constituído por sete fontes, com edificações de planta circular em pedra aparelhada e teto em abóbada ("mães d'água"), a que se somam minas abertas na pedra com condutas e galerias. A conduta principal nasce na primeira "mãe d'água" e prossegue, captando as águas das demais minas e mães d'água até ao Arial, onde existia a última mãe d'água. Esta última e parte do canal, foram destruídas em nossos dias por uma construtora civil para dar lugar a blocos habitacionais. O canal prossegue pela rua do Arial, Largo de Monte d'Arcos, Rua de São Vicente, Rua dos Chãos até ao atual Largo de São Francisco, onde existia uma mãe d'água distribuidora para as ruas da cidade, hoje escritório de uma companhia de seguros.

Serviços

Comodidades

Atenção


Neste momento só disponibilizamos restaurantes para a região Norte, para Lisboa, Faro e Coimbra. Brevemente teremos maior cobertura do território nacional.


Regista-te e acompanha as novidades do MyRestaurant!